Mossoró, assim como várias cidades brasileiras, vive o mesmo drama quando se fala em segurança: o crescente aumento da criminalidade, principalmente quando se trata de crimes violentos. Em 2017, o número de homicídios superou a média, se comparado com o mesmo período do ano passado.

No último dia 11, dados do OBVIO (Observatório da Violência Letal Intencional – RN), confirmaram que a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte Mossoró, atingiu a marca de 161 homicídios. Em todo o estado, esse número é ainda mais alarmante. Foram registrados 1.720 crimes violentos no período de janeiro a setembro desse ano.

A variação, segundo o Observatório, é de um aumento de 25% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o estado do Rio Grande do Norte registrava 1.369 homicídios naquele ano, mais que o dobro do registrado em 2011.

Nota-se que são várias as razões para o aumento da criminalidade como, por exemplo, a falta de eficácia das políticas públicas de segurança no estado, o que pode levar à migração da violência para outros municípios.

A sociedade em regra, e por questões morais, deve conviver em harmonia, dentro de um processo de manutenção de um sistema que tenha um funcionamento perfeito, quando as pessoas respeitando as normas vigentes, buscam objetivos comuns para a coletividade.

Por outro lado, quando esse sistema não funciona mais em harmonia, quando as disfunções começam a surgir, as pessoas por consequência, não conseguem mais ser inseridas, integradas ao meio mantendo as mesmas finalidades e valores que a norma e a própria sociedade determinam. Assim é a chamada teoria do consenso, que se baseia na coordenação e cooperação dos indivíduos e, não na sua subordinação perante a sociedade.

Dessa forma, quando alguns indivíduos começam a compartilhar objetivos distintos daqueles almejados pela sociedade como o bem-estar de todos, desrespeitando as normas instituídas e vigentes, haverá um fomento do fenômeno criminológico.

Fonte: OBVIO

Comentários do Facebook