SETEMBRO AMARELO: A ORIGEM NO BRASIL E SUA INSERÇÃO NA LEGISLAÇÃO

0
2654
Fonte: Senado Federal

Alguns meses possuem uma simbologia com o objetivo de tornar pública uma causa e buscar o desenvolvimento de atividades para o combate e a visibilidade do problema tratado, como ocorre no outubro rosa contra o câncer de mama. O setembro amarelo é o mês de combate ao suicídio, um problema de saúde pública e ainda, como a maioria das doenças referentes a saúde mental, tratado com preconceito e um tabu a não ser tocado.

O dia 10 de setembro é o Dia Mundial de Prevenção ao Suicídio e no ano passado a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OMS) levantou mais uma vez a importância a prevenção ao suicídio entre as prioridades de saúde e relatou que apenas 28 países possuíam uma estratégia nacional para isso. “O suicídio é uma questão complexa e, por isso, os esforços de prevenção necessitam de coordenação e colaboração entre os múltiplos setores da sociedade, incluindo saúde, educação, trabalho, agricultura, negócios, justiça, lei, defesa, política e mídia”, disse a organização.

O setembro amarelo teve as primeiras atividades realizadas no Brasil em 2015, concentradas em Brasília. Iniciado pelo Centro de Valorização da Vida (CVV) com o apoio do Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP), atividades e ações de ruas estão sendo realizadas durante esses anos e destaques como a iluminação de monumentos históricos por todo o país, como o Cristo Retentor no Rio de Janeiro, o Congresso Nacional em Brasília, dentre outros.

No que corresponde a legislação brasileira, ainda não há uma previsão legal que determine a realização das atividades em todo o país. Neste ano, O projeto (PLS 163/2017), do senador Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN), pronto para ser votado na Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado, tem como ementa instituir a Semana Nacional de Valorização da Vida, para estimular o trabalho integrado e multidisciplinar destinado ao combate das causas e à redução do suicídio. A situação atual (14/09/2017) do projeto de lei é que ele se encontra no Plenário do Senado Federal, Secretaria de Atas e Diários.

Embora que ainda não estipulado na legislação, o combate ao suicídio tem sua maior visibilidade no mês de setembro, mas é um trabalho desenvolvido diariamente em todo o país. Como salienta a OMS, “A prevenção não tem sido tratada de forma adequada devido à falta de consciência do suicídio como um grave problema de saúde pública. Em diversas sociedades, o tema é um tabu e, por isso, não é discutido abertamente”. Sensibilizar a comunidade e quebrar o tabu são ações importantes para alcançar progressos na prevenção. O site “Setembro Amarelo: falar é a melhor solução” retrata todo o trabalho desenvolvido pela CVV, sua história e contêm postagens diárias das atividades desenvolvidas pelas associações, escolas e projetos por todo Brasil. Saiba mais: http://www.setembroamarelo.org.br/ e faça parte dessa luta, que com ações mínimas, como um diálogo e entender a realidade de cada um, até mesmo dentro do seu próprio ciclo de convívio ou participar das ações realizadas na sua cidade podem fazer a diferença.

Comentários do Facebook