O dia 20 de abril, dia do diplomata, celebra justamente o aniversário do ilustre patrono da diplomacia brasileira: o Barão de Rio Branco. José Maria da Silva Paranhos Junior (1845-1912) estudou Direito e atuou como jornalista e deputado antes de ingressar na carreira diplomática.

O grande Ministro das Relação Exteriores deixou seu legado pacífico para resolução de controvérsias, e quando foi Chanceler, consolidou de maneira branda as fronteiras brasileiras. Atualmente a escola preparatória de diplomatas brasileiros possui seu nome: o Instituto Rio Branco em Brasília.

O que faz um diplomata?

O diplomata faz a representação do Brasil no exterior. Garantindo a representação internacional do país, gerenciando as relações exteriores, seja informando, negociando e acompanhando discussões internacionais.

O que fazer para ser um diplomata?

Para se tornar um diplomata é necessário a formação em qualquer curso superior e a aprovação em concurso público, composto por quatro fases. A primeira fase é objetiva, envolvendo os conhecimentos de Direito, História Mundial e do Brasil, Inglês, Economia, Geografia, Português e Política Internacional. A segunda fase são questões de língua portuguesa, dois exercícios interpretativos e redação.

O candidato aprovado entra no Ministério das Relações Exteriores Itamaraty como diplomata. Exercendo função de Terceiro secretário, evoluindo para segundo, primeiro, conselheiro, Ministro de Segunda Classe e Ministro de Primeira classe (momento hábil para se tornar embaixador).

Dentro do Itamaraty, o profissional deve ser preparado para a carreira, durante 1 ano e meio no Instituto Rio Branco. Estagiando nas divisões do Ministério a partir do terceiro mês de curso.

 

Comentários do Facebook