Já foi o tempo que o “Bicho Papão” era o maior rival das crianças, onde o
medo da escuridão era absurdo. O medo nos dias atuais é a violência e o abuso sexual
contra crianças e adolescentes, sendo que este crime está em todos os lugares, em todas
as classes sociais. Mas porque o crime de abuso e violência sexual tem crescido em
números enormes? Araceli, oito anos de idade. Sequestrada, violentada, assassinada de
forma cruel e tendo seu corpo carbonizado por jovens de classe média alta, que nunca
foram devidamente punidos por seus crimes no ano de 1973.

Institui-se a data 18 de maio como o “Dia Nacional de Combate ao Abuso e
à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”, Lei Federal nº. 9.970/2000 data essa
que ocorreu o crime com a pequena Araceli.

O disque denúncia (disque 100), recebe mais de 50 ligações por dia de
vítimas de abuso sexual, sendo essas crianças e adolescentes. Os crimes de abuso sexual
na maioria das vezes ocorrem dentro da casa da vítima, sendo praticado pelos parentes
mais próximos (pai, avô, tios, primos e irmãos). Comum também com amigos próximos
a família que tem a confiança e proximidade com a vítima. Os casos desse tipo de abuso
estão presentes em 85% do total de denúncias de violência sexual. Este crime ocorre
quando o agressor, por meio da força física, ameaça ou seduz, usa crianças ou
adolescentes para a própria satisfação sexual. Sendo 54% das vitimas crianças do
gênero feminino.

O abuso sexual infantil vai além da violência sexual. As agressões físicas,
morais e psicológicas vão além do imaginável. A mente de uma criança violentada fica
danificada, é como se jogassem água em uma peça mecanizada. Vários casos são
arquivados em memorias por vergonha, medo de ameaças ou falta de crença dos
adultos. Pensamentos aprisionados e corações angustiados por não aguentarem mais
viver tal situação. Até quando haverá o medo, a vergonha e a impunidade para tal
crime?

Escrito por: Livia Lima

Comentários do Facebook