Você já deve ter ouvido falar na Lei seca, não é? A famosa lei que veda o consumo de bebidas alucinógenas, como o álcool, na condução de veículos, presente na França, Inglaterra, Espanha, Japão, dentre outros países. No Brasil, prevista no Código de Trânsito brasileiro. Porém, o que talvez você não saiba é que nos Estados Unidos já foi vigorado uma lei que proibia o consumo. No ano de 1919, foi ratificada a 18ª Emenda à Constituição americana, a qual vedava a fabricação, o transporte e a venda de bebidas alcoólicas em território nacional.

Em um cenário pós-primeira guerra, o racionamento de alimentos se fazia necessário. Exigir, portanto, o gasto em trigo e em outros cereais para a fabricação de bebidas alcoólicas tornava-se imprudente, na opinião das lideranças políticas. Além disso, predominava uma resistência de cunho religioso, oriundo do puritanismo, que fortalecia o anseio proibitivo na crença de que o consumo dessas substâncias alucinógenas atrapalhava o desenvolvimento da nação.

O resultado desse contexto foi a aprovação da população e a entrada em vigor da Lei Seca em 1920, limitando o consumo em até 0.5% de teor alcoólico. No texto, do ano de 1919, estava expresso: “Após um ano da ratificação desse artigo, a fabricação, venda, ou a transportação de licores intoxicantes, importado para os Estado Unidos, ou exportado para todo o território sujeito à jurisdição do mesmo, para fins de bebidas, é por este meio proibido. ”

Contudo, a legislação não obteve plena eficácia no plano fático. Acontece que logo após a vigência, diversos estabelecimentos clandestinos surgiram com o intuito da comercialização de bebidas com fabricação caseira ou importadas ilegalmente de outros países, nas quais difundiam, além das bebidas, outros tipos de substâncias alucinógenas, como a cocaína. Houve, na verdade, um aumento no número de consumo de bebida alcoólica, chegando, em Nova Iorque, por exemplo, a mais de 100 mil bares secretos.

Através desse contexto, diversos grupos mafiosos ganharam força nos EUA, e evoluíram de atividades de jogos ilegais, prostituição e extorsão para tráfico de bebidas e drogas. Dentre esses grupos, destacou-se o Chicago Outfit, de Al Capone, considerado como o maior gangster da história dos EUA e responsável por ser o mandante de cerca de 500 assassinatos.

Em meio ao fracassado esforço moralizante que a lei seca detinha, a oposição mais liberal viu o seu discurso ganhar força. No ano de 1929, o qual ocorreu a crise econômica que assolou os EUA, os afiliados à revogação dessa medida repressiva argumentaram que a liberação das bebidas seria positiva à abertura do mercado, proporcionando a geração de novos empregos. Essa discussão foi encerrada no ano de 1933, quando o governo revogou a 18ª Emenda Constitucional, sendo a primeira e única vez na história dos EUA.

Comentários do Facebook